O PODER DA VOZ

“A voz é a ferramenta de comunicação mais primária e imediata que dispomos para interagir na sociedade, pois ela não requer qualquer acessório ou mecanismo especial para ser utilizada.”

COMPARTILHE ESSE EBOOK

A comunicação engloba diversos conceitos e aspectos, e pode ser entendida em duas dimensões: a comunicação verbal e a comunicação não-verbal. Dentro do espectro verbal, encontramos aspectos de fala e linguagem, ou seja, o modo/meio como expomos nossa comunicação e o conteúdo que atribuímos a ela. Mas e a voz? Onde ela se encontra?

A voz se encontra na dimensão não-verbal da comunicação junto da linguagem corporal, pois ela abrange o som produzido pelo nosso corpo, e emitido pelas nossas pregas vocais. Ficou difícil de entender? Então vamos à seguinte dinâmica: Pense em dois instrumentos musicais diferentes.

Agora imagine eles tocando alguma música que você conheça. Antes de imaginar as primeiras notas da música, você já sabia qual seria o som de cada um deles, certo?
Porque cada um deles tem um som diferente, que nem a nossa própria voz!

Não é difícil encontrarmos pessoas da mesma família, como irmãos e filhos com voz parecidas com seus familiares. Mas cada um tem seu próprio som. É como se existisse uma impressão digital da nossa voz, e cada um produzisse um som único e individual.


 
Pela voz, conseguimos captar e transmitir nossas emoções, sensações e intenções. É por meio dela que as pessoas revelam seu entusiasmo, cansaço, ansiedade, estado de humor, interagindo de modo decisivo na eficácia do nosso processo comunicativo, refletindo traços da personalidade de quem fala. Conhecer a própria voz é um pouco da própria alma!

A compreensão da mensagem transmitida depende total e completamente de uma boa voz, que pode nos ajudar em diversas situações, seja no ambiente profissional ou pessoal. Com ela que conceitos como credibilidade, confiança, liderança e assertividades são repassados aos ouvintes. 

Mas qual a importância da voz em tudo isso? No palco, principalmente nos primeiros minutos da nossa fala, cerca de 

70-80% do que é captado pelo ouvinte é a partir da comunicação não verbal

TESTE SEUS CONHECIMENTOS

Não?  

A gente te explica!

O som produzido pelo corpo é uma energia mecânica que se propaga pelo ar – que é um meio elástico. Quando duas pessoas estão conversando, o som emitido pela fala de uma, é transmitido pelo ar e chega aos ouvidos da outra. Aquela que fala, no entanto, percebe o som também pela vibração dos ossos, já que o crânio funciona como um alto falante e a vibração criada pelas pregas vocais estimula a orelha. Assim, quem emite a fala ouve uma mistura entre o som que sai da própria boca e entra na orelha pelo ar, e o som que perpassa os ossos. 
 
Fonte: Universidade Federal de Santa Maria

Parabéns!

 Como você já sabe

 veja essa outra curiosidade!

Assim como o resto do corpo humano, os órgãos envolvidos na produção da voz também se desgastam. A partir dos 45 anos, mas principalmente depois dos 65 anos, a voz sofre uma mudança importante: a do envelhecimento. Nessa idade, as pregas vocais começam a perder fibras musculares e apresentam mais flacidez.
 
Fonte: Universidade Federal de Santa Maria

Como é produzida?


Todos nós nascemos com um “auto-falante” natural, cuja fonte de energia nasce nos nossos pulmões com a respiração. O ar que inspiramos pelo nariz até os pulmões, ao ser expirado, passa pela traqueia chegando às nossas pregas vocais (fazendo-as vibrarem), onde nasce o som da nossa voz. A partir das pregas vocais, o som é amplificado, filtrado e moldado para sair pelas nossas estruturas e cavidades para sair como ouvimos ao emitirmos alguma palavra. Na laringe, as pregas vocais estão em posição horizontal. Ao falarmos, elas se aproximam; e ao respirar, elas se afastam.

Ter uma voz mais aguda e estridente, ou mais grave e aveludada, depende de vários parâmetros, e alguns deles são fisiológicos/corporais. Mulheres sempre tem vozes mais agudas que homens, pessoas com pescoço longo tendem a ter voz mais grave, rostos mais curtos tendem a ter a voz com foco mais nasal, e daí por diante.

Em apresentações mais longas, é necessário modular sempre a voz, independente da área de conforto (grave ou agudo), com o objetivo de prender a atenção do público. A voz de um bom orador deve passar competência, segurança, autoridade e credibilidade, com ressonância equilibrada, boa projeção e emitido sem esforço; exigindo flexibilidade para realizar as alterações necessárias sem prejudicar o nosso instrumento.

 

 

 

 

 

 

 

 

Aspectos da Voz

A voz, como produção vocal, possui alguns aspectos a serem considerados para uma boa produção. Dentre elas estão a frequência e intensidade vocal, a ressonância, além de aspectos como entonação e qualidade vocal (timbre), dentre outras características.

 

 

  • Frequência e intensidade 
  • Ressonância
  •    Entonação     
  • Qualidade vocal    

Esses são parâmetros físicos da onda sonora que emitimos, e está relacionada com a amplitude da tensão e vibração das pregas vocais. Quão mais esticada a prega vocal está, mais agudo será o som; assim como quão maior a tensão e o fluxo aéreo, mais alta será a voz. Dessa forma é importante entender e controlar esses aspectos para não emitir um som muito alto para um público pequeno, nem sussurrar para uma grande quantidade de pessoas.

A ressonância consiste na capacidade que nosso corpo tem de adaptar o som emitido pelas pregas vocais e amplificá-los de forma acústica, tornando o som mais aveludado, metálico ou ainda projetado, dependendo dos ajustes que fazemos no nosso aparelho fonador. Em outras palavras, é a vibração do ar sonorizado em nossas caixas de ressonância, visando a modelar e projetar o som no ambiente. A junção da vibração das pregas vocais (fonte) adicionado a ressonância (filtro) é responsável pela produção vocal em si, e é a partir dela que se dá a identificação da voz do falante, fornecendo as características vocais individuais de cada um. As caixas de ressonância são: a laringe, faringe, cavidade oral e nasal, a porção superior do nosso tronco e os seios paranasais. O ideal é termos uma ressonância equilibrada entre todas as caixas de ressonância. A predominância de uma caixa de ressonância à outra, salienta esse aspecto, e parte das vezes, dá origem a uma produção vocal errônea. Um exemplo é quando se utiliza muito à cavidade nasal e os seios paranasais ao invés do equilíbrio, gerando uma “voz nasal”, ou “no nariz”.

Podemos definir a entonação como o “desenho melódico” que utilizamos durante a fala. É o colorido, o que atrai o ouvinte a se fixar em nosso discurso, é a variação dos tons durante a fala. Através dela que se pode valorizar o conteúdo e ressaltar o significado. Através dela conseguimos diferenciar uma afirmação de uma interrogação, ou ainda uma surpresa ou ironia.

Também chamada como timbre, a qualidade vocal diz respeito a característica final e geral de uma voz. Com esse aspecto, podemos analisar se uma voz está ou não dentro dos parâmetros tidos como uma voz normal, sem alterações. É um termo que se utilizada para nomear o conjunto das características que diferenciam uma voz da outra. Pela qualidade vocal, podemos identificar uma voz rouca, soprosa, tensa, áspera, trêmula, entre outros.

TESTE SEUS CONHECIMENTOS

Incorreto!

 Volume e projeção são coisas diferentes! 

O volume diz respeito ao valor absoluto (decibéis) que emitimos, e a projeção, à capacidade que se tem de ‘preencher’ o ambiente a partir do uso de uma boa ressonância (que falaremos abaixo). Devemos balancear um bom volume e projeção de acordo com o público e o local em questão.

Correto!

 Volume e projeção são coisas diferentes! 

O volume diz respeito ao valor absoluto (decibéis) que emitimos, e a projeção, à capacidade que se tem de preencher’ o ambiente a partir do uso de uma boa ressonância (que falaremos abaixo). Devemos balancear um bom volume e projeção de acordo com o público e o local em questão.

A voz pode ser aperfeiçoada?

 


Há um certo tempo, a técnica vocal para fala deixou de ser algo exclusivo e privilégio de religiosos, filósofos, políticos, professores, advogados e comunicadores. O bom uso da voz está em evidência em todas as profissões, inclusive nas relações interpessoais. Saber utilizar a voz corretamente reflete num bom desempenho em qualquer área em que for utilizada.
A voz pode modificar-se de acordo com o conteúdo afetivo e a necessidade que a provoca. Através do nosso apelo vocal, podemos manipular o mundo com ações e reações, transmitindo emoções e movendo o público a partir do nosso comando.

 

 

A voz pode ser mudada, trabalhada e aperfeiçoada, a partir do desenvolvimento de habilidades e a utilização de técnicas para a sua melhor produção. Podemos modificar e melhorar todos os aspectos relacionados à voz, a exemplo de volume, intensidade, ressonância, entonação e timbre.

Quer saber como aperfeiçoar a voz?

Realize uma consulta comunicacional com um dos nossos especialistas e saiba como!

Falar com um consultor »
COMPARTILHAR EBOOK

FATORES BENÉFICOS E PREJUCIAIS Á VOZ

 
Para se ter uma boa voz, pensamos pensar nela como um instrumento precioso. Temos que investir na boa afinação e no cuidado para preservação deste, sempre investindo no aperfeiçoamento vocal visando nossas maiores condições de sucesso comunicativo. A voz é uma arma poderosa!
 
Alguns cuidados básicos com a nossa voz ajudam na preservação de possíveis alterações e patologias vocais e devem ser seguidos por todos, principalmente para aqueles que a utilizam como ferramenta de trabalho. Manter a saúde vocal em dia é a garantia de se ter uma voz clara, limpa, emitida sem esforço e agradável ao ouvinte. Siga as dicas abaixo!

 

 

Beba bastante água

(E se possível use inaladores!) Manter-se hidratado é imprescindível. A área laríngea é uma região que necessita de lubrificação para funcionar; quando não há hidratação suficiente, o corpo tenta compensar a falta de água com muco, gerando pigarro; o que ocasiona atritos desnecessários à região. O ideal é ingerir 7 a 8 copos por dia (aprox. 2L). Antes de grandes atividades de fala, utilizar vaporizadores de água para uma hidratação direta são de grande auxílio.

Mantenha uma alimentação equilibrada

Alimentos muito gordurosos, derivados do leite, e muito condimentados tendem a aumentar a produção de muco (pigarro) e gerar refluxo. E evite pastilhas! Elas só analgesiam a região oral e proporcionam esforços vocais desnecessários.

Durma bem

É durante o sono que as nossas pregas vocais se recuperam depois de um grande dia de trabalho. 7 a 8 horas por dia é o ideal.

Utilize roupas confortáveis

Utilize roupas confortáveis durante atividades vocais. Além de favorecer uma postura mais correta, evitam tensões desnecessárias ao ato de fala.

Respire corretamente

Durante atividades vocais. Além de favorecer uma postura mais correta, evitam tensões desnecessárias ao ato de fala.

Evite competir com ruídos externos

Evite competir com ruídos externos durante a fala. Fique atento e procure não aumentar o volume da sua voz na tentativa de superá-los.

Fale pausadamente

Fale pausadamente e de maneira correta. Articular bem as palavras evita a tentativa de elevar a voz para se fazer entender.

Evite tossir e pigarrear

Essas ações provocam grande atrito na região laríngea, podendo gerar irritações e até lesões à longo prazo.

Repouso Vocal

Repouso Vocal após grandes atividades! A laringe precisa descansar depois de um enorme esforço.

 

 

 

 

Cigarros e outras drogas, pois irritam a mucosa de todo o trato vocal, além de aumentar a sensação de pigarro e causar alterações graves às pregas vocais, a longo prazo.

Álcool, porque resseca a mucosa do trato vocal, além de ter efeito anestésico, mascarando a dor de garganta.

Mudanças bruscas de temperatura são prejudiciais a voz. Alimentos muito gelados ou muito quentes tem mesmo efeito por induzir choques térmicos ao nosso organismo.

Bebidas à base de cafeína, refrigerantes e alimentos pesados/gordurosos/condimentados podem dificultar à digestão, gerando refluxo gastroesofágico. A “queimação” pode chegar as pregas vocais, gerando irritação. Se você apresenta com frequência azia ou má-digestão, evite esse tipo de alimentos, principalmente antes da atividade intensa de fala.

Gritar é uma das atitudes mais agressivas para o nosso aparelho fonador, causando um choque muito grande entre nossas pregas vocais. Evite!

Automedicar-se em caso de perda vocal é incessantemente não recomendado. Receitas naturais (gengibre, romã, alho e vinagre) não possuem estudos que comprovem sua eficácia. Em casos pertinentes, procure um médico ou fonoaudiólogo que poderá te orientar sobre o que fazer.

Cantar de maneira inadequada e abusiva sem preparo vocal pode prejudicar sua produção vocal.

TESTE SEUS CONHECIMENTOS

Incorreto!

Mesmo que não seja o caso de uma disfunção, existem métodos que podem ser colocados em prática para mudar e melhorar a voz, como exercícios específicos e treinamento das cordas vocais.

 

 

 

 

 
Se você quer saber como mudar a voz em alguns aspectos, o fonoaudiólogo pode ajudar e muito. Esse profissional é capacitado para analisar sua situação, de modo personalizado, e indicar exercícios e técnicas que, com certeza, surtirão efeito.

Correto!

Seja por uma questão pessoal, seja por uma questão profissional — seja por ambos os motivos —, alguém pode considerar que o som da sua voz gera um certo desconforto auditivo e acaba se sentindo extremamente incomodado com a situação.
 


 

 

 

 

A boa notícia é que, com determinadas técnicas, é possível modificar algumas características da voz, de acordo com as necessidades da pessoa. 

EXERCÍCIOS PARA VOZ

Exercícios de relaxamento

Esticando os músculos da cabeça: 
Bem devagar, faça movimentos com a cabeça, de forma lenta e relaxante:
  • Primeiro para cima – apontando o queixo para o teto - e para baixo – encostando o queixo na base do pescoço (movimento do “sim”)
  • Agora para à esquerda e para a direita (movimento do “não), tente chegar ao extremo dos dois lados
  • Depois movimentos rotatórios, no sentido horário e anti-horário, tentando sentir toda a musculatura se alongando

Para aquecer a voz

  • Emissão do /Z/ ou /V/ de forma reta, depois ascendente – grave para o agudo, e depois em sirene – mesmo movimento, mais rápido
  • Vibre a língua e os lábios, de forma reta, e depois ascendente – grave para o agudo, e depois descendente – agudo para o grave

Desaquecimento

 
 
Também precisamos desaquecer a voz após atividades de esforço. Para isso podemos utilizar o exercício do papai noel que consiste em falar /Ho, Ho, Ho/ em tons descendentes, do agudo ao grave da voz. 
Após isso, passe cinco minutos sem falar, e sua voz está desaquecida e pronta para o repouso! 

NÃO PARE POR AQUI!

Oratória é um exercício diário!
No Clube da Fala temos fonoaudiógos e professores de oratória especializados em voz que podem lhe ajudar a capacitar ao máximo a sua comunicação.

Falar com um consultor »
COMPARTILHAR EBOOK